21 3327-3527

1) Protocolo Natural VÊNUS* (para a Mulher)

1.1) MENOPAUSA

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para os transtornos da menopausa *.

Após avaliação (anamnese) da paciente, é estabelecido o tratamento naturopático individualizado e orientações terapêuticas correspondentes ao caso.

Métodos Terapêuticos: A escolha das terapias e técnicas no tratamento dependerá de cada caso individual. As terapias normalmente usadas são: Homeopatia, Ortonutromolecular, Fitoterapia.

A medicina natural, por meio dos métodos naturopáticos, age estimulando o organismo feminino a equilibrar metabolicamente os seus hormônios, e com isso aliviando os sintomas da menopausa. O tratamento naturopático é uma opção complementar ou alternativa aos tratamentos da medicina convencional, especialmente nos casos da polêmica reposição hormonal.

Inúmeros estudos científicos publicados na Europa e nos EUA, nos últimos anos vêm comprovando as propriedades fito-hormonais de vários Fitoterápicos usados há séculos na menopausa pelas diversas medicinas tradicionais. São usados também com frequência os recursos da ortonutromolecular e da homeopatia, aumentando os benefícios do tratamento naturopático para a menopausa. E quando necessário, a aromaterapia e a floralterapia funcionam como moduladores sensoriais e de humor, no alívio de alguns transtornos agravados por fatores de ordem emocional.

* menopausa não é doença; ela nada mais é do que o fim do período fértil da mulher, ou seja, a mulher deixa de menstruar definitivamente. A menstruação como todos os fenômenos reprodutivos na mulher é controlada por alguns hormônios, principalmente o estrogênio. Normalmente, a menstruação cessa entre os 45 e 55 anos de idade, sendo acompanhada de alterações hormonais importantes que podem causar desde simples incômodos até alguns transtornos que afetam a qualidade de vida da mulher, de forma transitória ou permanente, quando não tratados.

1.2) TPM (Transtornos por Menstruação)

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico dos transtornos da menstruação.

Após avaliação (anamnese) da paciente, é estabelecido o tratamento naturopático individualizado e orientações terapêuticas correspondentes ao caso.

Métodos Terapêuticos: A escolha de quais terapias e técnicas no tratamento dependerá de cada caso individual. As terapias normalmente usadas são: Homeopatia, Ortonutromolecular e/ou Fitoterapia.

A medicina natural age estimulando o organismo feminino a equilibrar metabolicamente os seus hormônios de forma complementar em muitos casos de transtornos decorrentes da TPM.

Após uma avaliação com anamnese da paciente, é estabelecido um tratamento naturopático individualizado, com orientações terapêuticas naturais correspondentes ao caso, com uso de homeopatia, fitoterapia e/ou ortonutromolecular. Ainda quando necessário, a aromaterapia e a floralterapia podem ser usadas no alívio de alguns transtornos agravados por fatores de ordem emocional.

1.3) Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) e outros Distúrbios do

Aparelho Reprodutor Feminino (DARF)

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico dos transtornos da SOP e DARFs.

Após avaliação (anamnese) da paciente, é estabelecido o tratamento naturopático individualizado e orientações terapêuticas correspondentes ao caso.

Métodos Terapêuticos: A escolha de quais terapias e técnicas no tratamento dependerá de cada caso individual. As principais terapias usadas são a Fitoterapia e a Homeopatia; quando necessário usamos a ortonutromolecular como apoio terapêutico.

O tratamento naturopático age estimulando o organismo feminino a equilibrar metabolicamente os seu sistema endócrino de forma holística (mente e corpo), tratando as causas geradoras dos cistos, miomas e inflamações no aparelho reprodutor.

Os tratamentos convencionais alopáticos usam medicamentos com hormônios, contraceptivos e sensibilizadores de insulina, com os seus vários efeitos colaterais já bastante conhecidos.

O primeiro e grave efeito do contraceptivo químico é a chamada “menopausa química”, ou seja, a mulher ao usar o medicamento contraceptivo entra, artificialmente, numa condição análoga à da menopausa por idade. Além de suprimir a produção de hormônios naturais, de acordo com as informações dos próprios laboratórios e de pesquisas médicas publicadas, os principais efeitos colaterais dos anticoncepcionais químicos costumam ser: aumento da glicemia, aumento da pressão arterial, inchaços, celulite, depressão, tromboses, diminuição da libido, distúrbios da tireoide, aumento do risco de câncer de mamas, ovário e útero e aumento de riscos de doenças cardíacas.

No caso dos sensibilizadores insulínicos (hipoglicemiantes sintéticos), os efeitos colaterais mais destacados são: irritação e inflamação gastrintestinal, hipovolemia, convulsões, edemas (inchaços), anemia, aumento de risco de ataques cardíacos, dores articulares, e hipoglicemia com confusão mental, tonturas, palpitações, transpiração, etc.

Por outro lado, inúmeros estudos científicos publicados nos últimos anos vêm comprovando as propriedades fito-hormonais de vários Fitoterápicos usados há séculos nos tratamentos da menopausa pelas medicinas tradicionais chinesa e ayurveda. Estes mesmos estudos também chamam a atenção para a eficácia do tratamento com os fitoterápicos considerados fito-hormônios.

 

2) Protocolo Natural ALFA* (para o Homem)

2.1) LIBIDO (Perda ou Diminuição):

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico da perda ou diminuição da Libido.

 

Enquanto varia de pessoa para pessoa e ao longo da vida, uma diminuição significativa na libido pode indicar um problema subjacente que requer atenção.

A libido masculina refere-se ao desejo sexual ou à vontade de se envolver em atividades sexuais. É influenciada por uma interação complexa de fatores físicos, psicológicos e sociais, que exigem, por isso mesmo, uma abordagem não apenas do problema, mas também uma visão de forma holística do paciente.

O desejo sexual é uma parte essencial da saúde e bem-estar geral dos homens. Quando a libido é baixa, pode afetar não apenas a vida sexual, mas também a qualidade de vida do homem. Compreender as causas subjacentes é fundamental para a escolha do tratamento adequado e individualizado.

Após avaliação (anamnese) do paciente para determinar as possíveis causas e os fatores do problema (mental, emocional ou físico), é estabelecido um programa de tratamento naturopático individualizado, com orientações terapêuticas correspondentes ao caso, com uso da fitoterapia, ortonutromolecular e homeopatia.

2.2) IMPOTÊNCIA (Disfunção Erétil):

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico da perda ou diminuição da potencia sexual (disfunção erétil).

A disfunção erétil, também conhecida como impotência masculina, é uma condição que afeta a capacidade do homem de obter e manter uma ereção firme o suficiente para uma relação sexual satisfatória. Pode ser causada por uma variedade de fatores, tanto físicos quanto psicológicos.

As causas fisiológicas mais comuns são:

As causas psicológicas costumam ser: Estresse, Ansiedade de desempenho, Depressão, Problemas de relacionamento e Traumas sexuais anteriores.

Os principais sintomas da disfunção erétil incluem dificuldade em obter uma ereção, dificuldade em manter uma ereção firme o suficiente para a relação sexual e diminuição do desejo sexual.

O Tratamento: Após uma avaliação (anamnese) do paciente para identificar as possíveis causas do problema (mental, emocional, ou fisiológico), é estabelecido um tratamento naturopático individualizado, com orientações terapêuticas correspondentes ao caso, com uso da homeopatia, fitoterapia e ortonutromolecular.

3) EMAGRECIMENTO NATURAL

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para Emagrecimento natural (Perda de peso sustentável).

O tratamento segue 4 etapas:

1) Inicial: drenagem e vitalização orgânica; estímulo emunctório.

          2) Disruptora;

          3) Reguladora/Moduladora;

          4) Consolidação;

         

Esclarecimento Importante:

A obesidade e o sobrepeso são condições de saúde complexas que afetam milhões de pessoas em todo o mundo, e estão associadas a uma série de complicações físicas e psicológicas. Uma abordagem integrativa, combinando os amplos conhecimentos das medicinas naturais e tradicionais, oferece uma visão holística no tratamento mais eficaz dessas condições, respeitando a individualidade de cada organismo e o histórico de vida do paciente.

As causas da obesidade e sobrepeso são multifatoriais e podem incluir fatores genéticos, ambientais, comportamentais, metabólicos e psicológicos. Dietas ricas em carboidratos e pobres em nutrientes, falta de atividade física, estresse crônico, distúrbios hormonais, padrões de sono inadequados e outras condições subjacentes são alguns dos principais contribuintes para o desenvolvimento e cronificação dessas condições.

As complicações mais associadas à obesidade e sobrepeso incluem as doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, hipertensão, apneia do sono, problemas articulares como osteoartrites (artroses e artrites), distúrbios metabólicos, disfunção hormonal, problemas de fertilidade, distúrbios emocionais como depressão, entre outros.

O tratamento da obesidade e sobrepeso requer uma abordagem individualizada e abrangente, levando em consideração não apenas os aspectos físicos, mas também os emocionais, comportamentais e ambientais. Ao integrar as terapias naturais e tradicionais no Tratamento Naturopático, é possível oferecer aos pacientes uma opção terapêutica que visa não apenas a perda de peso natural, mas também a promoção da saúde e bem-estar global, sem riscos e efeitos colaterais comuns nos tratamentos convencionais com drogas alopáticas.

Mude a sua estratégia: Faça do Emagrecimento parte integrante do processo de tratar a sua saúde, e o seu corpo perderá o excesso de peso compatível com a sua necessidade, de forma sustentável e sem riscos de efeitos colaterais.

4) DIEBETES tipo 2

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para reversão total ou parcial do Diabetes 2 e da resistência insulínica.

O diabetes tipo 2 é uma condição metabólica complexa, influenciada por uma interação de fatores genéticos, ambientais e de estilo de vida, incluindo o estado inflamatório crônico, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Além dos fatores já conhecidos, como obesidade, sedentarismo e dieta inadequada, o estado inflamatório crônico, muitas vezes associado a condições como a síndrome metabólica, contribui significativamente para a resistência à insulina e para a disfunção das células beta pancreáticas.

Esta condição resultante do estado inflamatório crônico associada à resistência insulínica está na origem de complicações graves, como doenças cardiovasculares, neuropatias, retinopatias, alzheimer, disfunção erétil no homem e insuficiência renal. No entanto, uma abordagem integrativa que combine as terapias naturais e tradicionais no Tratamento Naturopático pode oferecer ao paciente benefícios significativos no tratamento terapêutico do diabetes tipo 2.

A obesidade, a falta de atividade física, a dieta pobre em nutrientes e rica em açúcares e carboidratos, o estresse crônico e a predisposição genética são considerados os principais contribuintes para o desenvolvimento crônico desta condição.

As consequências do diabetes tipo 2 podem ser graves e debilitantes. Em longo prazo, a hiperglicemia crônica pode danificar os vasos sanguíneos, os nervos e os órgãos, levando a complicações como hipertensão, neuropatia periférica, retinopatia diabética, doença renal crônica e problemas de cicatrização de feridas. Além disso, a inflamação sistêmica pode exacerbar o estresse oxidativo, contribuindo para o dano celular e para a progressão da doença.

Após a normalização glicêmica o controle se faz por meio da alimentação normal adaptada ao paciente, e eventualmente, com suplementação natural.

Pode ser alternativo ou complementar a outros tratamentos convencionais, conforme cada caso.

5) DOR  (Dores – Osteoartrose – Reumatismo)

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para alívio e diminuição de dores articulares e nevrálgicas.

Artrose, também conhecida como osteoartrite ou osteoartrose, é uma condição degenerativa das articulações que afeta principalmente as cartilagens, resultando em dor, rigidez e perda de função nas articulações afetadas. É uma das formas mais comuns de artrite e pode ocorrer em qualquer articulação do corpo, mas é mais comum em áreas como os joelhos, quadris, mãos e coluna vertebral.

Natureza e Causas: A artrose é caracterizada pelo desgaste progressivo da cartilagem articular, que é o tecido que reveste as extremidades dos ossos nas articulações. Com o tempo e devido a diversos fatores, como idade avançada, sobrecarga nas articulações, lesões articulares prévias, predisposição genética e obesidade, a cartilagem pode se deteriorar, causando atrito entre os ossos e levando à formação de osteófitos, ou esporões ósseos, ao redor das articulações. Isso resulta em inflamação, dor e limitação de movimento.

Consequências: A artrose pode ter impactos significativos na qualidade de vida do paciente, causando dor crônica, dificuldade de locomoção e realização de atividades cotidianas, além de poder levar a uma incapacidade funcional em estágios mais avançados da doença.

O tratamento naturopático da artrose e dores causadas nas articulações deve ser individualizado, e usará a combinação adequada de terapias naturais como a homeopatia, a fitoterapia e a ortomolecular, além das orientações para adequações no estilo de vida, como exercícios físicos, controle de peso e técnicas de relaxamento, que também contribuirão para o manejo eficaz da condição.

Dores nevrálgicas ou nervosas, por sua vez, são aquelas que afetam os nervos do corpo. Elas podem variar de leves a extremamente debilitantes, podendo ocorrer em qualquer parte do corpo e as mais conhecidas são as decorrentes de condições como neuralgia do trigêmeo, neuropatia diabética, herpes zoster e ciática. E as causas das dores nevrálgicas podem surgir por vários fatores, incluindo lesões físicas, compressão dos nervos, infecções virais, inflamação, deficiências nutricionais e problemas subjacentes, como diabetes e esclerose múltipla. Além disso, o estresse emocional e psicológico também pode desencadear ou exacerbar essas dores.

Os Tratamentos da artrose e das nevralgias: As Dores e as Inflamações das articulações e dos nervos costumam responder muito bem aos tratamentos naturopáticos, que podem ser também associados de forma complementar aos tratamentos convencionais médicos e fisioterapêuticos.

6) HIPERTENSÃO

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para reversão ou controle da Pressão Arterial.

A hipertensão arterial, comumente conhecida como pressão alta, é uma condição em que a pressão do sangue nas artérias é consistentemente elevada. É uma preocupação séria de saúde, pois pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como doença cardíaca, acidente vascular cerebral e insuficiência renal.

Na medicina convencional, a hipertensão arterial é frequentemente atribuída a uma combinação de fatores genéticos e ambientais, como dieta inadequada, falta de exercício, estresse, obesidade e consumo excessivo de álcool e tabaco. Ela é frequentemente chamada de “assassina silenciosa”, pois pode ser assintomática por um longo período, mas ainda assim causar danos graves aos órgãos internos.

Na abordagem naturopática, o tratamento da hipertensão arterial geralmente envolve uma abordagem integral, visando não apenas os sintomas, mas também as causas subjacentes, utilizando-nos dos recursos sempre seguros da ortomolecular, fitoterapia e homeopatia e, nos casos com forte influência de fatores emocionais, também podemos ainda recorrer ao suporte psicoenergético da floralterapia e da aromaterapia.

Dependendo de fatores como a idade, causas, nível de cronicidade e outras variáveis, é possível a redução ou normalização natural e suave do estado hipertensivo com o tratamento naturopático, entendendo o paciente que, como toda a doença crônica, os resultados dependem também do grau de seu comprometimento com as orientações de seu tratamento, incluindo aqueles relacionados à correção de hábitos de vida.

Pode ser alternativo ou complementar a outros tratamentos convencionais, conforme cada caso.

 

7) DETOX NATUROPÁTICO

Tratamento naturopático individualizado e multiterapêutico para desintoxicação do organismo a nível físico e energético de:

→ drogas: fumo, álcool, maus efeitos de medicamentos alopáticos, etc;

→ radiações químicas e eletromagnéticas: Rx, TC, RM, USG, Celular, etc;

→ bisfenóis, estrogênios, substâncias tóxicas e cancerígenas contidas nas embalagens plásticas, nos alimentos industrializados, inclusive infantis, nos agrotóxicos e fertilizantes, pílulas anticoncepcionais;

→ chumbo e enxofre expelidos no ar pelas industrias e veículos;

→ metais pesados como: mercúrio – usado como matéria prima em vacinas e lâmpadas fluorescentes; subproduto da queima de petróleo e madeira; nos rios e lagos (a quase totalidade estão poluídos por este metal) devido à prática de garimpo; em todos os grandes peixes de mares no topo da cadeia alimentar (salmão, atum, outros) e de rios;  alumínio e cloro – usados em grande escala pelas companhias de saneamento para despoluição e tratamento das águas dos rios destinadas ao abastecimento das cidades; bromo/bromato (cancerígenos) – o bromato de potássio é muito usado como aditivo fermentário em farinhas para bolos e pães, e o bromo como aditivo em combustíveis como gasolina; 4) Hidrocarbonetos dos combustíveis fósseis (cancerígenos) – benzeno, butano, nafta, outros;

→ distúrbios hepáticos (fígado e vesícula), renais (rins e bexiga), pancreático, mucosa intestinal (delgada e cólon) e gástrica;

Abrir o WhatsApp
Olá, precisa de ajuda? Estamos online